PSICÓLOGO CLÍNICO

DOUGLAS A. FORMOLO
Psicólogo Clínico – CRP 12/11333

Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), especializando-se em Terapia Relacional Sistêmica pelo Familiare Instituto Sistêmico, professor da cadeira de Teoria Sistêmica da Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) – Campus Tubarão.


Endereço:
R. Felipe Schmidt, 657.

Ed. Golden Tower, sala 403.

Centro – Florianópolis
Cel. Comercial: (48) 9906-8878

e-mail: douglasformolo@gmail.com
Descontos: Dúvidas a respeito de valores e descontos, solicite através dos contatos acima.

facebook.com/psidouglasformolo

Horário de atendimento:

– Das 8hr às 21hr


 Sobre a Psicologia Clínica

Psicólogo é o profissional capacitado a auxiliar na resolução de problemas da vida cotidiana que nos afetam emocionalmente, podendo causar transtornos graves como pânico, depressão e conflitos familiares, bem como limitações menos evidentes (porém não menos limitantes), como dificuldades em lidar com uma situação nova ou na tomada de decisão. De forma geral, todas estas questões afetam nossa auto-estima, bem-estar e sentimento de realização.

A solução destes problemas pode se dar (mas não somente), por meio de terapia, sendo esta um processo conversacional especializado voltado para a resolução de um ou mais problemas. No entanto, nem todas as pessoas precisam de terapia (ainda que todas se beneficiassem dela).

Em caso de dúvida um profissional deve ser consultado!

Sobre a Terapia Relacional Sistêmica

A Terapia Relacional Sistêmica é uma abordagem terapêutica que busca entender o indivíduo a partir do lugar onde se encontra: quem são seus amigos, quem faz parte de sua rede de apoio, onde trabalha, qual a história de sua família e quem faz parte dela? Estas são algumas perguntas que nos ajudam a entender quem somos hoje, como chegamos até aqui e de que forma os nossos problemas e as nossas emoções estão atrelados a este contexto.

Grande parte da dificuldade na resolução de um problema está em desconectá-lo da situação que o construiu. Quando conhecemos nossa própria história, a partir dos lugares pelos quais passamos e das pessoas com as quais nos relacionamos, começamos a conectar os nossos problemas com o contexto em que vivemos. Pode-se entender, portanto, que as dificuldades não se dão tanto por uma falha na personalidade nem por um defeito nas outras pessoas ou no mundo. Mas, sim, pela forma como se dão os relacionamentos com estas pessoas e com o mundo.